Anotação de Aula

A visão sobre o feminino e o masculino apresentada no vídeo desta semana propõe uma perspectiva diferente da cosmogonia tântrica (o Brahmachakra) sobre a divisão desses papeis. No Tantra, Shakti (princípio feminino) é a força realizadora, enquanto Shiva (princípio masculino) é a consciência que dá forma à realidade. Shiva nada pode sem Shakti e vice-versa. Mas, em última instância, a Consciência (Shiva) antecede o emprego da Força Criadora (Shakti) e direciona a sua aplicação. A visão proposta por Raoni neste vídeo é bem outra: o princípio feminino (coração) deve guiar o princípio masculino (a mente e a força). Do contrário, a força se tornará destrutiva e aniquilará o próprio princípio feminino. Portanto, as divergências entre essas duas visões do princípio masculino e feminino se dão em dois patamares: a) no locus onde se reconhece a força (em Shakti ou na força Yang?); b) na relação de subordinação entre os dois princípios (Shiva deve controlar Shakti, na visão do Tantra; o coração deve guiar a mente, na visão proposta por Raoni).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *